Fichas Individuais dos Imóveis

TIPOLOGIA:  comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 58, 60, 62 (atuais 1634, 1638, 1640, 1644);

PROTEÇÃO LEGAL:  Resolução nº 5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: de impactante tridimensionalidade, unidade compositiva conduz a disposição, ritmo e equilíbrio das fachadas, com aberturas em número de quatro, tanto para uso comercial como para residencial, ocupando toda extensão da fachada, as varandas são espaços de transição entre o mundo público e o mundo privado da família Vervloet. Posicionadas em linha, apenas interrompida por cornijas no nível dos balcões do pavimento residencial. A esquina é marcada por leve curvatura;

 

 

 

TIPOLOGIA: comercial

ENDEREÇO: Rua do Comércio nº 57 a59, sede, Santa Leopoldina (atual 1645)

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº 5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Insrição no livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: pequena edificação de um só pavimento, impantada sobre testada frontal e limites laterais do terreno, volume de base retangular, cobertura de duas águas avaça no avança mento com pequeno beiral e cumieira paralela à rua. Um dos últimos exemplares da arquitetura do núcleo urbano de Santa Leopoldina em sua primeira fase

TIPOLOGIA: comercial e residencial

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 63, sede, Santa Leopoldina (atuais 1655 a 1659);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº 5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESRIÇÃO ARQUITETÔNICA:  lote posicionado no eixo da ponte sobre Rio Santa Maria da Vitória com Rua Bernadino Monteiro, com fachada dividida em duas faixas horizontais separadas por estreito balcão com balaústre e em três módulos verticais de mesma largura. Explora o módulo central ampliando as dimensões do vão em arco pleno. A platibanda com frontão curvo tem inscrição do ano de construção do edifício (1914). Os ornatos em madeira e ferro, refletem motivações por inserção social do primeiro proprietário, de intensa atividade social e cultural, o “sobrado da ponte” foi sede de clubes esportivos e recreativos.

TIPOLOGIA:  comercial e residencial

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 55, Sede, Santa Leopoldina

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura , Inscrição no Livro do Tombo sob nº 32 a 68, folhas 4v 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: imóvel de dois pavimentos e um sótão habitável, é edificada a partir da superposiç~~ao de vãos de portas nos dois pavimentos principais. Segue assim, a alternância do predomínio de cheios e vazios. A estreita sacada e conrijas delimitam a transição de pavimentos. Gradil metálico funciona como guarda-corpo da sacada.

TIPOLOGIA: comércio, residência e armazém;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 54, Sede, Santa Leopoldina;

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº 5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA:  Pertencente originalmente a João Vervloet, a escala e refinamento estético o torna referência de significado comercial em Santa Leopoldina. Principal função comercialização e armazenamento de café.  Linguagem compositiva presente na moldura que contorna os vãos de porta e na sequencia de frisos e cornija horizontalmente dispostas na extensão da fachada.

TIPOLOGIA:  comercial e resindencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 51 a 53, sede, Santa Leopoldina (atual 1609 e 1617);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Construído pela família Vervloet em dois momentos, Volumes diferenciados por falsos pilares em relevo, unificados pela adoção de mesma volumetria, escala e linguagem. Com tratamento mais rústico no térreo e alvenaria lisa no pavimento superior, esse marcado com estreitos balcões em gradil.

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 45 a 47, Sede, Santa Leopoldina (atuais 1591 e 1599);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Imóvel de dois pavimentos e um sótão habitável, apresenta-se com imponente fachada com ornamentação particular a cada pavimento, térreo com rusticidade presente no arremate dos vãos de porta, com referencia clássica maneirista, o primeiro pavimento se distingue com a proteção dos quatro vãos de porta com gradil forjado e o sótão se abre através de duas janelas e dois óculos. Cobertura estruturada em dois planos articulados em cumeeira perpendicular à fachada, superposição de frisos, cornija e platibanda, formam elementos de composição associados ao uso de calhas.

 

TIPOLOGIA:  armazém;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 43, sede Santa Leopoldina;

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA:  Erguida em passagem de século (1901), se destinou à armazenagem de café por dois importantes comerciantes de Santa Leopoldina (João Vervloet e José Reisen). Configurado pela sequencia de dois volumes, com fachada marcada pelos vãos de portas, essas valorizadas pela moldura em relevo que as contorna. Os vãos das portas em gradil e folhas em madeira são delineados em arco pleno, seguindo padrão clássico, a Inscrição na fachada traz referência a seu fundador “J 1901 V”.

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 27, Sede, Santa Leopoldina (atual 1535);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: em lote situado em um cruzamento, se destaca pela simplicidade da composição arquitetônica e força da volumetria, reforçada pela cobertura de cumeeira elevada. Sequência ritmada de portas no térreo  e janelas no pavimento superior. Conhecida em sua época, a Casa Franz Meyer é adquierida posteriormente por Franz Müller & Cia, empresa comercial influente da vida econômica de Santa Leopoldina.

 

TIPOLOGIA: comercial;

ENDEREÇO:  Rua do Comércio, nº 34 e 36, Sede, Santa Leopoldina (atuais 1510, 1514 e 1522);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Situado em lote de esquina, o edifício tem posição explorada por comerciantes. De um único pavimento,  se delineia pela repetição em fila de janelas na fachada lateral, e portas na fachada frontal, separadas por pilares em relevo, com arremate em cantaria de pedra. Arquitetura construída com materiais duráveis, ferro e pedra, exemplar representativo do poder econômico;

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 17, Sede, Santa Leopoldina (atual 1501);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA:  O museu do Colono ocupa o edifício onde residiu seu idealizador, Luiz Holmzmeister Júnior. (prefeito de Santa Leopoldina entre 1916 e 1919). Arquitetura tipicamente colonial, a fachada frontal com vãos de portas dispostos regularmente. No segundo pavimento  as portas são modernizadas por dupla esquadria de madeira e caixilho de vidro colorido. O ornato em forma de fita sobreposto aos vãos em posição inferior à cimalha arremata a fachada. Em terreno de meia encosta, o edifício conta com quintal desenvolvido em dois patamares.

 

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 15, sede, Santa Leopoldina (atual 1491);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Uma das construções mais antigas da cidade, usou madeira como forma de arremate dos vãos de porta e janela. O balcão de delicados desenhos e lampiões de iluminação pública executados em ferro, denotam o poder do proprietário. De traço simples como nas construções erguidas pelos primeiros habitantes lusos.

 

TIPOLOGIA: comercial

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 26, sede, Santa Leopoldina (atual 1490);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Construído com uso de materiais sólidos (pedra e ferro), o edifício é um exemplar representativo do poder econômico da cidade. De um só pavimento e composição delineada pela sequencia linear de portas de generosas dimensões, arrematadas por moldura desenhada de inspiração clássica, com uso de arco pleno, frissos e cimalha horizontalmente dispostos.

TIPOLOGIA: comercial;

ENDEREÇO:  Rua no Comércio, nº 24, Sede, Santa Leopoldina (atual 1482);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: erguida no século XX, por imigrante alemão, destinava-se ao comércio de produtos importados.  Apresenta composição restrita à disposição dos vãos de porta na fachada da rua. De um só pavimento, o edifício foi descaracterizado duplamente, pela inserção de uma marquise plana em concreto armado e pela modenatura dos vãos das portas, o edifício mantem sua destinação comercial, sendo propriedade da família de Valdemar Nickel.

 

TIPOLOGIA: hotel;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 13, Sede, Santa Leopoldina;

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Originalmente um Hotel, o edifício abriga hoje um supermercado (alteração de 1984). Foi feita a inserção de nova estrutura em concreto armado. De fachada tipicamente colonial resultante da disposição em linha e justaposta dos vãos de porta, com tratamento diferenciador (entre pavimentos) . A fachada esta horizontalmente delineada por cimalhas de marcação de pisos e arremate de cobertura, essa, oculta por platibanda;

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO:  Rua do Comércio, nº 11, sede, Santa Leopoldina (atual 1469);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: o edifício possui volumetria desenvolvida a partir de implantação em lote de esquina. Um sobrado de dois pavimentos, a fachada frontal é valorizada pela repetição de vãos de portas dispostos sobre paredes dos dois pavimentos. NO segundo pavimento, a inserção de bandeiras envidraçadas, gradis desenhados e estreitos balcões. Arquitetural típica colonial, resultante do contraposição entre vazios das portas e janelas e a opacidade de pesadas paredes em alvenaria autoportante. A fachada se completa com platibanda, escondendo a cobertura.

 

TIPOLOGIA: residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 14, 16, 18 e 20, Sede, Santa Leopoldina (atuais 1438, 1442, 1446 e 1450);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: a construção data de 1918, uma das mais bem preservadas do local. Com métodos construtivos da época: alvenaria autoportante no primeiro pavimento, e de tijolo no segundo pavimento. Implantado em lote de esquina, possui simetria entre as duas fachadas, com guarda-corpos em balaústre no pavimento superior, e sequencia de aberturas no pavimento inferior, com duas aberturas que marcam a verticalidade da entrada.

 

TIPOLOGIA: comercial e residencial;

ENDEREÇO: Rua do Comércio, nº 3, sede, Santa Leopoldina.

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: Construída em 1918 com dois pavimentos, o edifício esta implantado em lote de esquina, com formato triangular. Com elemento de definição volumétrica marcada pela esquina, onde se situa a porta de entrada. As fachadas laterais tem composição marcada pelos vãos de porta, simetricamente posicionados nos dois pavimentos, mas arrematados de forma a acentuar a diferença funcional do edifício, Enquanto o térreo com pesada cantaria em pedra emolduram as portas do comércio, os balaústres em alvernaria arrematam e protegem os guarda-corpos da residência da família Sasemburg.

TIPOLOGIA: comercial;

ENDEREÇO:  Rua do Comércio, nº 1, Sede, Santa Leopoldina (atual 1399);

PROTEÇÃO LEGAL: Resolução nº5/1983 do Conselho Estadual de Cultura, Inscrição no Livro do Tombo Histórico sob nº 32 a 68, folhas 4v a 7v;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: O imóvel é construção de um só pavimento, com volume de base retangular de pequenas dimensões, é tipicamente de arquitetura comercial. Na fachada composta por três portas, o edifício apresenta sua face mais elaborada, resultante do emolduramento dos vãos de porta e da presença de platibanda fechada em balaústre.

TIPOLOGIA: Religiosa;

ENDEREÇO: Centro, Santa Leopoldina;

PROTEÇÃO LEGAL: não há;

DESCRIÇÃO ARQUITETÔNICA: A Igreja Matriz Sagrada Família fica localizada na sede do município, foi construída em 1911 e tem o seu interior todo pintado a mão. A Matriz situa-se em um morro com altitude de aproximadamente 80m em relaçao ao centro da cidade. De lá pode-se avistar o morro do hospital com o Monumento ao Imigrante, o conjunto de montanhas que circunda a cidade, o rio Santa Maria da Vitória e o casario que compõe o sítio histórico.

A edificação começou a ser construída em 1901, pelo padre Leopoldo Pfad. Sua construção eclética possui traços do estilo neogótico. O altar-mor de cedro e foi esculpído por um artista da região de Tirol, na Áustria, entre os anos de 1920 e 1922. O altar lateral é de mármore e foi doado a igreja por J. Reisen em 1923.

Na igreja há ainda, vários objetos, dentre eles a Via Sacra feita em madeira, dentre outros.

Sua fachada frontal composta por dois pavimentos e uma torre. No primeiro, há uma porta em madeira emoldurada por um portal em formato ogival, com duas janelas falsas em formato semelhante, em escala reduzida.

No segundo pavimento há duas pequenas janelas em basculantes, ao centro emolduradas no mesmo formato quadrado com uma janela em madeira em cada parede lateral, tambem em formato ogival. Em cada uma das extremidades a torre exibe pináculos. Suas fachadas laterais possuem janelas e portas no mesmo estilo e formato da fachada frontal além de colunas escalonadas adossadas às quinas paredes.